...

Lagrimas de morte correm dos meus olhos sinto a face quente o sangue arde em minhas veias em minha mente a insanidade dementa os meus sonhos.
Na boca o gosto do sangue que corre entre meus dentes e cai no chão.
Minha garganta arde pelo enxofre.
Você não entende o que eu digo??
Sinta minha alma cuspir ódio então!!!

Que raios risquem o céu
Que o o fogo queime a todos
Que o vento arranque o que puder
Que a chuva inunde o que conseguir
Pois cansei de me calar
Que meu grito de dor exploda e mate quem me persegue.


Só descansarei quando sentir
O ultimo pingo de sangue do corpo de meus inimigos jorrar em minha face

Sou um demônio adormecido que nunca soube perdoar
E para quem destruo meus sonhos não haverá piedade
Que nesta noite minha espada perfure suas entranhas
E você sinta a minha respiração bem perto do seu rosto enquanto vejo a sua expressão de pavor

Olhe em meus olhos e descubra por que a morte me abandonou três vezes nessa vida
Desejara não ter nascido a me conhecer
Eu avisei jamais brinque com o que não conhece
Pois sou bem mais do que pode imaginar ou compreender

Sou o doido reprimido de mil anos que clama pelo gosto do sangue, sou a gadanha
que seiva que separa o joio do trigo
Senhores se vocês acham que a morte sera sua ultima agonia
É por que vocês ainda não conhecem o meu mundo...

(Dark Wind in the hell)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!