[Poema] Sonegação

Participo das buscas ao teu lado, 
procura indefinida, precipícios, 
sob as manhãs incertas dos meus vícios, 
aprendiz no teu corpo aventurado. 

Se tanto eu desconheça desde o início 
as razões do teu gosto inconformado 
- tanto que ele é o escopo procurado -, 
em ti não desconheço os artifícios! 

A nudeza, tesouro que me entregas, 
filha da intrepidez concupiscente, 
transforma a lucidez em obsessão! 

Perdido na refrega da emoção, 
sinto a tua lascívia tão presente! 
Mas noto que tua alma me sonegas! 

Do livro QUARENTA SONETOS SEM PECADOS – Ed. Zen – Rio – 2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!