[Resenha] Objetos Cortantes

Vocês lembram que eu havia feito uma postagem sobre o projeto literário que criei junto com a Beatriz Pupato? Deem uma olhada (Aqui).
E como vocês sabem o tema do mês de Janeiro foi SUSPENSE
E o Math me indicou Objetos Cortantes.


Livro: Objetos Cortantes
Autor: Gillian Flynn
Editora: Intrínseca
Páginas: 251
Ano: 2015

Esse livro trata da complexidade da mente humana. Mostrando que todos nós estamos suscetíveis a distúrbios psicológicos que afetam completamente a nossa vida e a dos que estão ao nosso redor, e essas são características que dão sentido para a narrativa.

Camille Preaker, jovem jornalista que mora em Chicago e trabalha no Chicago Daily Post é "obrigada" pelo seu chefe Frank Curry a fazer uma reportagem sobre o que anda acontecendo em Wind Cap, cidade natal de Preaker, do qual ela não gostaria de voltar, mas acaba indo em busca das informações, pois também seria uma oportunidade de reconhecimento profissional, chegando lá, pouco se sabe sobre os acontecimentos.
Tudo começa com a morte de Ann e o desaparecimento de Natalie Keene que surge morta depois de uns dias. Personagens vão surgindo durante a história e você fica pensando quem é o assassino.
No primeiro momento pensei que poderia ser .... (Então não vou contar porque eu acertei).
Aos poucos o livro vai mostrando as personalidades dos personagens e a verdadeira face de cada um. Também vai contando como foi a infância de Camille, dai você começa a entender porque o título do livro ser objetos cortantes e outras coisas começam a acontecer na vida dela, pois ela acaba regressando a casa da sua mãe e revendo sua meia-irmã que ela mal conhece e dúvidas sobre sua família começam a surgir.
O livro fica nesse paralelo entre a vida pessoal da Camille e sua vida profissional na busca de informações sobre os assassinatos.


"Algumas vezes se você deixa as pessoas fazerem coisas a você, na verdade você está fazendo a elas." 


Alguém já leu?
O que achou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!