[Resenha] A Guardiã - As Relíquias de Aether


Livro: A Guardiã - As Relíquias de Aether
Autora: Laís Lacert
Páginas: 275
Ano: 2016

Sinopse: Aether, um reino antigo, o berço da magia. Lugar que já passou por inúmeras batalhas. Porém, a maior delas permanece um mistério: a Grande Tempestade, ou na língua antiga, o Ezjah, responsável por unificar os doze reinos.Oito anos antes, a princesa de Khaye é prometida ao poderoso rei de Fargih como parte de um acordo de paz. Alva não sabe o que lhe espera, mas suas escolhas mudarão o rumo da própria história.No ano de 1792, após o Ezjah, Delilah recebe uma notícia trágica. Seus pais, os duques de Khaye, estão mortos. Sua vida está prestes a mudar. Os mil e oitocentos anos que a separam da princesa são uma ilusão. O destino está para se repetir; ainda que com novos personagens.O passado não está morto, ele se enlaça com o presente, trazendo uma nova batalha.Cada escolha é capaz de mudar o futuro. O tempo é impiedoso, porém, há quem seja ainda mais.

Esse livro me surpreendeu, a autora consegue nos envolver surpreendentemente com sua escrita.
Encontraremos duas narrativas, a primeira com a maga Delilah, uma jovem que fugiu de casa e as circunstâncias acabaram fazendo com que ela se filia-se ao clã Thénar, no clã ela fez alguns amigos e acabou se relacionando com Saleh, seu envolvimento com seus pais é bem conturbado e há alguns anos eles não se falavam, até que um dia ela recebe uma carta informando que seus pais haviam morrido e que ela deveria retornar a Khaye e assumir suas responsabilidades ou decidi o que fazer.

"Não serei subjugada. Mesmo que meu corpo esteja condenado, minha alma, minhas habilidades e minha mente ainda são apenas minhas."

E é a partir desse ponto que Delilah terá sua vida modificada.
A segunda narrativa, será feita pela Alva há alguns anos antes da era de Delilah. Alva teve que casar com Samad, para que o Reino de Khaye não sucumbisse a uma guerra, iremos conhecer a história de Alva através do que ela escrevia em seu diário, seus sentimentos, angústias, medo e alguns poucos momentos de felicidade.

"Perpétuos. Não haverá mudança em minha sina, Samad agora é meu esposo, meu rei, meu dono e eu sou nada além de outra presa em seu controle."

O que irá esclarecer bastante a história. E o que Delilah e Alva tem em comum? O livro te surpreenderá no final e te deixará ansioso pela continuação

"Enquanto as estrelas brilharem nos céus, estaremos juntos."

Quer adquirir o livro? É só entrar em contato com a autora através do Insta


6 comentários:

  1. Acho essa capa maravilhosa e pelo que li o enredo tambem é muito bom

    ResponderExcluir
  2. Interessante, gostei muito da capa e sua resenha me deixou bastante curiosa

    ResponderExcluir
  3. Parece incrível, estou apaixonada nessa capa!

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
  4. QUE CAPA LINDAAAA
    Parece ser um ótimo livro. A temática é muito boa, amo demais, vou colocar na lista

    ResponderExcluir
  5. OI Suka! Esse parece ser bom hein?! Gostei da capa!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!