[Lançamentos] Junho - Catálogo Literário Record


Confiram os lançamentos do Catálogo Literário Record par ao mês de junho.


Neste romance, Francisco Azevedo retoma o tema da família, que o consagrou no best-seller O Arroz de Palma. O autor investe e se aprofunda no caráter intrínseco e universal das células familiares, que podem ser a de qualquer um – e aqui são duas, famílias vizinhas, morando em casas geminadas. O que se vive – e se supera – dentro delas é das mais belas e comoventes exposições da intimidade do ser humano: tramas que levam as pessoas à opção pelo silêncio sob um mesmo teto. Os novos moradores trata da convivência e da compreensão do diverso por meio da escolha radical pelo diálogo e pela reflexão.
Francisco Azevedo é romancista, dramaturgo, roteirista, poeta e ex-diplomata. Além de livros e peças de teatro, escreveu para mais de 250 produções audiovisuais. Também pela Editora Record, seu primeiro romance, o best-seller O Arroz de Palma, foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura e já conquistou milhares de leitores em todo o mundo, traduzido para treze idiomas. É autor também do romance Doce Gabito.



Lex, doutora em história da arte e especialista em arte urbana, recebe uma ligação de um editor com uma oferta de trabalho tentadora: localizar o grafiteiro Sniper e lhe apresentar uma proposta irrecusável, que envolve fama e fortuna incalculáveis. Porém, existe um problema: a identidade do maior grafiteiro que o mundo já viu é completamente desconhecida e ninguém sabe seu paradeiro.
Arturo Pérez-Reverte é um dos mais importantes escritores de língua espanhola da atualidade.
Autor de diversos romances, entre eles, O tango da Velha Guarda, publicado pela Editora Record, O
capitão Alatriste, que ganhou as telas de cinema em uma produção estrelada por Viggo Mortensen, e A rainha do tráfico, que foi adaptado para uma série de TV com Alice Braga no papel principal.
Um livro de extrema relevância no momento atual, quando se discute a legitimidade do grafite/da pichação como forma de arte.


Neste livro, o renomado filósofo Roger Scruton, em vez de apresentar uma defesa da existência de Deus, ou da verdade da religião, propõe uma reflexão sobre por que o sentimento do sagrado é essencial à vida humana, e o que a perda dele pode significar. A alma do mundo conclui que, mesmo com o papel cada vez menor do sagrado no mundo contemporâneo, os caminhos à transcendência permanecem abertos.
Roger Scruton, filósofo inglês, foi professor de Estética na Birkbeck College, Londres, e professor da
Universidade de Boston. Escreve regularmente para The Times, The Telegraph e The Spectator. Escreveu grande número de livros, incluindo Como ser um conservador, também publicado pela Record.


Ao introduzir a noção de “ridículo político” no debate sobre estética e política, os ensaios deste livro são uma contribuição original – e fundamental – de Marcia Tiburi para que pensemos sobre quão grave é o hábito de não tratar com seriedade as coisas políticas.
Marcia Tiburi foi apresentadora do programa Saia Justa e escreveu para a Revista Cult. É autora de ensaios filosóficos, entre eles Como conversar com um fascista, Filosofia em comum e Filosofia prática, além dos romances Magnólia, Era meu esse rosto e Uma fuga perfeita é sem volta, todos publicados pelo Grupo Editorial Record, o primeiro deles sendo finalista do Prêmio Jabuti.


Olhos de carvão marca a estreia de Afonso Borges como contista. Ao resvalar do plano real para o simbólico, sua linguagem sempre dá aura singular aos contos aqui reunidos, que muitas vezes não passam de um flagrante, mais próximos da crônica do que do conto tradicional.
Afonso Borges escreve um blog no portal do jornal O Globo. Em 1986, criou o projeto Sempre Um Papo e, em 2011, o Fliaraxá – Festival Literário de Araxá.


Bruna Beber tenta retirar, ao extremo, o peso, a profundidade e a densidade da poesia. A começar pelo título: tipo de canto, prece ou recitação que provém de uma dimensão religiosa, a palavra “ladainha” passou a ser usada para dizer aquilo que se repete incansavelmente apesar de já ter perdido o sentido. O que poderia ser visto como um exercício de banalidade e humor propositalmente afirmativos é, antes de tudo, uma posição ironicamente crítica da poesia para com sua história, para com a poeta, o leitor, a tradição, o mundo, o nosso tempo e, mesmo, a vida.
Bruna Beber é escritora e poetisa com poemas traduzidos e publicados em antologias e sites na Alemanha, Argentina, Itália, México, Estados Unidos e Portugal. Foi vencedora do 2º Prêmio QUEM Acontece na categoria revelação literária de 2008. É autora, entre outros, de Rua da Padaria (Record) e do infantil Zebrosinha (Galerinha Record).


Para saber se é um homem cruel por ter testemunhado o brutal assassinato de seus pais quando tinha apenas oito anos, David planeja repetir o ocorrido com outras famílias, dando a William, um respeitado psicólogo infantil, a chance de acompanhar o crescimento das crianças órfãs e estudar a influência desse trauma no desenvolvimento delas. Mas até onde William será capaz de ir para atingir seus objetivos?
Os direitos de adaptação foram comprados pela TV Globo, que está preparando uma minissérie baseada no livro.
Publicado em 2015 de maneira independente, fez grande sucesso entre blogueiros literários influentes.
Raphael Montes classificou o livro como “imperdível” em sua coluna no jornal O Globo.
Ainda são poucos os autores nacionais que escrevem thrillers de qualidade e com apelo comercial.


Esta bela antologia de contos consagrados e algumas narrativas menos conhecidas do grande Eça de Queirós compõe um panorama dos temas característicos da obra do grande autor português.
Conhecido por livros de extrema importância na literatura, como Os Maias, O primo Basílio e O crime do padre Amaro, Eça de Queirós é considerado o grande mestre do romance português moderno e certamente o mais popular entre os escritores de Portugal no século XIX.



O mundo não vai acabar é uma coletânea de textos literários com viés político, que oferecem uma visão do mundo contemporâneo, tratando das injustiças, das dores e dos conflitos nacionais e internacionais.
Tatiana apresenta ao leitor o mundo que não se mostra quando estamos entregues à opinião pronta, ao senso comum, ao preconceito da tendência dominante.
Seu primeiro romance, A Chave de Casa, foi vencedor do Prêmio São Paulo, na categoria estreante, e finalista do Jabuti e do Zaffari & Bourbon. O romance Dois rios foi finalista do Prêmio São Paulo e indicado ao Portugal Telecom.
Consagrada internacionalmente, Tatiana tem livros publicados em doze países.


Durante a Revolução Farroupilha, o líder do movimento, general Bento Gonçalves da Silva, isolou as mulheres de sua família em uma estância afastada das áreas em conflito, com o propósito de protegê-las.
A guerra que se esperava curta começou a se prolongar. E a vida daquelas sete mulheres confinadas na solidão do pampa começou a se transformar.


Assim que completa 18 anos, Wolf Truly pega o teleférico para o topo da montanha que se ergue sobre a cidade em que vive. Ele planeja tirar a própria vida. Em vez disso, acaba se deparando com três mulheres vagando pelas florestas estranhas que mudarão o rumo da sua vida. Quando uma série de infortúnios deixa esse grupo preso em meio à natureza selvagem, eles logo percebem que podem contar apenas um com o outro para se defenderem da brutalidade da floresta. Uma história emocionante de aventura, sacrifício e sobrevivência na natureza implacável de uma montanha lendária.
Lori Lansens é autora de Um rosto bonito, publicado pela Bertrand Brasil em 2012.
“Repleta de personagens ricamente trabalhados, reviravoltas inesperadas e detalhes de sobrevivência, essa é uma leitura que você vai querer fazer nesse exato instante.” — Jodi Picoult


Estado, governo, sociedade discute, entre outros temas, as diferentes formas de governo e de Estado, a ideia de sociedade civil na interpretação da tradição do direito natural e do debate atual e os critérios de legitimidade da democracia, da paz e da ordem universal.
Ideal para os leitores que desejam pensar a crise de nossa época sem dogmatismos.
Livro com linguagem acessível, reúne textos originalmente publicados em volumes da renomada. (Enciclopédia Einaudi)
Posfácio de Celso Lafer, ex-ministro e membro da Academia Brasileira de Letras.
Eventos em torno do livro com apoio do Instituto Norberto Bobbio.


BRICS e o futuro da ordem global oferece uma análise definitiva dos BRICS como termo e como instituição, desde seu início, em 2001, até 2015. Além disso, analisa o significado da ascensão de potências como Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul para o futuro da ordem global. Este é um livro essencial a todos os que desejam compreender a importância do grupo do BRICS para discutir o mundo cada vez mais multipolarizado de hoje.
Orelha de Celso Amorim, diplomata, ex-ministro das Relações Exteriores;
“Este é o melhor livro sobre o BRICS escrito até hoje.” (Amitav Acharya, titular da Cátedra da UNESCO em Desafios Transnacionais e Governança)
“Quem melhor estudou o significado dos BRICS para as relações internacionais contemporâneas foi Oliver Stuenkel.” - Celso Amorim.


Após décadas de hegemonia neoliberal, não são programas e políticas de esquerda que se apresentam como alternativa, mas nacionalismos conservadores e de direita. O que há de errado com as esquerdas? A Crise das Esquerdas reúne importantes intelectuais brasileiros em ensaios e entrevistas, e tem o mérito de abordar e responder estas e outras indagações, sob diferentes enfoques.
A discussão sobre a crise das esquerdas vem ganhando cada vez mais destaque devido à insurgência global da direita conservadora.
Livro com ensaios e entrevistas que reúne importantes intelectuais brasileiros, como Guilherme Boulos e Renato Janine Ribeiro.
Orelha de Leonardo Avritzer, cientista político, articulista do jornal Valor e autor de Impasses da democracia no Brasil.

Fica a Dica! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!