[Resenha] Nunca Olhe Para Dentro


Livro: Nunca Olhe Para Dentro
Autora: Amanda Ághata Costa
Ano: 2017
Comprar: E-book


Sinopse: Nem sempre a vida é colorida como um quadro ou suave como uma pincelada, às vezes é o contrário de tudo isso. Depois de perder os pais em um acidente de carro aos oito anos, a única coisa que Betina precisa fazer é encontrar o responsável por ter destruído sua família na noite que daria início à sua próspera carreira como pintora. Agora, longe dos pincéis e das paletas, ela está focada em terminar a primeira graduação e procurar na justiça um pouco de consolo para o caos que o seu passado ainda traz. Ao lado de seus amigos e sob o teto de uma tia que a detesta, ela perceberá de que cores as pessoas são feitas, e do quanto é realmente necessário olhar para dentro de tudo aquilo que a assombra, mesmo que para isso precise passar por uma inesperada decepção.

Betina ama as cores, como ela diz no livro respira as cores. Tudo para ela é uma cor e por conta desse seu amor pelas cores ela quando criança teve seu marco numa exposição onde dois de seus quadros a tornaram a menina prodígio de Ostala.

"...Se achar que o sabor de calabresa com morango e peixe com chocolate tem sentido, ninguém tem o direito de dizer que não é certo. O que faz sentido para você é a única coisa que importa."

Mas de volta pra casa o carro em que ela está com seus pais cai no lago e ela acaba ficando só, tendo que ir morar com Cecília, irmã de sua mãe e sua única família.
Cecília destrói todos os materiais de arte, cria regras e a trata mal, com agressões físicas e psicológicas, e por medo Betina acaba cedendo as situações que sua tia a impõe.

"A vida ensina da pior maneira que as teorias nem sempre funcionam na prática."

Betina cresce, começa a fazer o curso de psicologia, sua maior vontade é descobrir quem causou a morte de seus pais e seu sonho de pintora que foi por água abaixo desde o acidente.
Ela segue com sua investigação e só pretende descansar quando achar o culpado, se é que ela irá descobrir...
Apesar da insistência de sua tia de afastas as pessoas que se aproximam dela, Betina tem dois amigos, Paola, sua amiga desde a infância e Caio, que faz curso com elas.
No primeiro dia de estágio eles serão apresentados ao doutor Nicolas e Betina é bem grosseira com ele, mas ele gostou do jeito dela e tentará uma aproximação.

"Ninguém deveria chegar no fim da vida, e em vez de encontrar um ponto final, ver uma quantidade interminável de reticências."

O livro não é apenas um romance, é uma reflexão sobre temas com preconceitos, a importância de se fazer uma denuncia frente as agressões e o verdadeiro significado da amizade.
Você irá rir, chorar e ter raiva junto com os personagens, diversas vezes quis entrar no livro e da umas lições. 
A diagramação está linda e continuo afirmando que é o típico e-book que eu gostaria que fosse físico.

5 comentários:

  1. Olá!
    Eu já tinha ouvido falar da autora, mas desconhecia o livro. Não me parece uma história surpreendente, mas eu leria porque gostei do fato da protagonista amar as cores - assim como eu.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Não sei se eu gosto desta capa, mas independente disso, gostei de saber que o romance traz reflexões sobre preconceitos. Acho que nunca é demais pensarmos sobre isso.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oiee!!!
    Ah gente, eu adoro livros que causam diferentes tipos de emoçoes no leitor como esse parece ser por causa da sua resenha.
    Curti o que disse sobre o livro e eu acredito que o leria sem o menor problema.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    É a segunda resenha que vejo sobre esse livro hoje, e acho que deve ser uma bela história. Mas só tem em e-book? Que coisa.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Su, obrigada pelo carinho! Fico feliz por saber que gostou da história ♥

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!