[Resenha] Sonata de Auschwitz


Livro: Sonata em Auschwitz
Autora: Luize Valente
Páginas: 376
Ano: 2017
Comprar: Físico


Sinopse: Um bebê nascido nas barracas de Auschwitz-Birkenau, em setembro de 1944. Uma sonata composta por um jovem oficial alemão, na mesma data, também em Auschwitz. Duas histórias que se cruzam e se completam. Décadas depois, Amália, jovem portuguesa, começa a levantar o véu de um passado nazista da família a partir de uma partitura que lhe é revelada por sua bisavó alemã. A dúvida de que o avô, dado como morto antes do fim da Segunda Guerra, possa estar vivo no Rio de Janeiro, a leva a atravessar o oceano e a conhecer Adele e Enoch, judeus sobreviventes do Holocausto. A ascensão do nazismo na Alemanha, culminando na fatídica Noite dos Cristais, a saga dos judeus húngaros da Transilvânia, os guetos na Hungria e Romênia, os trens para Auschwitz, os mistérios acontecidos no campo de extermínio da Polônia e o pós-guerra numa casa cheia de segredos num lago de Potsdam oferecem os trilhos que Amália percorrerá para montar o quebra-cabeça."Com descrições de tirar o fôlego e diálogos que revelam o que há de melhor e mais cruel no ser humano, ninguém ficará indiferente ao ouvir esta Sonata em Auschwitz." (Francisco Azevedo, escritor)Luize Valente é uma escritora cujas tramas nascem de sua imaginação privilegiada e ganham corpo com pesquisa histórica rigorosa e pesquisa de campo. Elaborada com extrema sensibilidade e riqueza investigativa, sua narrativa envolve o leitor em mistério, suspense e profundos sentimentos e sensações."Sonata em Auschwitz" (2017) é o terceiro romance histórico da autora, depois de "O Segredo do Oratório" (2012) e "Uma Praça em Antuérpia" (2015), todos publicados pela Editora Record. Traz uma instigante história saída do campo de extermínio nazista, uma saga em pleno Holocausto. Em tempos extremos, reflete também sobre os erros que se repetem, os preconceitos que permanecem, as guerras que nunca acabam e os atos de resistência e a arte que sempre surgem em meio aos escombros.CURIOSIDADES1) Este romance é uma ficção baseada em fatos históricos, dados reais e depoimentos de sobreviventes. A autora teve um encontro marcante com a sobrevivente judia Maria Yefremov, hoje com mais de 100 anos, vivendo no Rio de Janeiro, e desse encontro partiu a inspiração para a escrita da ficção. Maria teve um bebé em Auschwitz em 1944 e nunca soube o que aconteceu com ele.2) A Sonata que dá título ao romance ganhou forma no plano real enquanto o livro era escrito. O sobrinho da autora, o jovem maestro Antonio Simão, compôs a “Sonata para Haya” tendo a mesma idade do personagem Friedrich, 24 anos. Um instigante diálogo entre ficção e realidade. 3) Como surpresa para o leitor mais atento, existe uma misteriosa ligação deste novo romance com o anterior, "Uma Praça em Antuérpia".

Conheceremos a história de duas famílias que irão se cruzar durante e pós guerra, por conta de Friedrich Schmidt.
Seu pai era um dos "babões" de Hitler e Friedrich foi convocado para ser piloto porém, devido a um acidente ele foi proibido de pilotar e acabou tendo que trabalhar em terra.
Mas, por trás do capitão existe um homem bondoso e apaixonado pela música, com uma família que ele pouco convive e seu filho Hermann pouco sabe sobre o pai.


"Não são as coisas que poderiam ter sido diferentes, são as pessoas... As pessoas é que poderiam ter sido diferentes!"

Hermann não tem contato com sua vó Frida e sente vergonha de seu pai, saiu da Alemanha aos 5 anos e foi morar em Portugal, casou-se, formou-se me direito, lutou contra o regime de Salazar e nunca falou do seu passado para os seus filhos Amália e Miguel.
Só que Amália escuta uma ligação dele com sua bisvaó Frida e fica curiosa sobre seu passado, sobre  que aconteceu a seu avô.
Quem foi Friedrich? O que ele fez?
Paralelo a isso, iremos conhecendo a história de Adele, uma jovem judia que tinha uma vida agradável antes de Hitler, seu pai era médico e ela vivia uma vida feliz, mas quando as perseguições começaram sua vida ficou recheada de perdas, porém antes de ser enviada para os campos de concentração ela casou e ficou grávida.
E é ainda durante a gravidez que ela e sua família será levada para Auschwitz e terá uma vida de  tristeza, fome, desespero, medo e dor. Mas a jovem Adele carrega em seu vente uma criança e isso faz com que ela não perca as esperanças.


"Se existiu Auschwitz, é sinal de que Deus não existe."Só havia duas formas de se ter estado lá. Como prisioneiro ou como algoz."

O livro irá intercalar entre o presente de Amália e suas buscas por respostas, o passado de Friedrich contada em alguns momentos por Frida e a vida de Adele que deu a luz a sua filha Haya dentro de Auschwitz e nunca perdeu as esperanças.
O que aconteceu a Adele? A Haya? Ao Friedrich? Por que Hermann afastou-se da família? O que Amália sente ao conhecer a sua verdadeira história? O verdadeiro passado da sua família?


"O ser humano não quer saber o que de fato acontece na guerra. Se quisesse mesmo, aprenderia e não repetiria. Cada guerra é enterrada quando começa outra para fazer esquecer a que antecedeu. O passado vira História. Cada geração vive batalhas presentes ou guerras pessoais."

São algumas perguntas que serão respondidas no decorrer da leitura dessa história emocionante e envolvente que me fez chorar em vários momentos.


[Resenha] O Homem Revoltado


Livro: O Homem Revoltado
Autor: Albert Camus
Páginas: 399
Ano: 2017
Comprar: Físico

Sinopse: As obras de Albert Camus destacam em geral dois conceitos: o absurdo e a revolta. Em “O homem revoltado”, o autor faz vários questionamentos de ordem filosófica. Coloca-se a favor da liberdade humana e da dignidade do indivíduo e contrário ao comunismo, aos regimes totalitários e ao terrorismo, pois incitam a revolta humana, os assassinatos e a opressão. Muito mais do que um ensaio, é uma obra contra os crimes de Estado, com destaque para aqueles ocorridos durante o regime stalinista. Segundo Camus, não há crime que possa ser justificado em nome da História. O autor mostra toda a sua personalidade por si só revoltada, com o objetivo da superação e da procura de um caminho, já que termina de escrever o livro alguns anos após o fim da Segunda Guerra Mundial. Apesar da morte precoce, Albert Camus deixou um legado para a sociedade e para cada indivíduo, iluminando os problemas da consciência humana.
Mais um livro de Camus para refletir, de leitura intensa, é necessário conhecimentos de autores como Nietzsche, Dostoiévski, Sade e outros.


"O homem não obtém ainda a certeza, mas apenas a vontade de certeza, o que não é a mesma coisa."

Ele nos trará um ensaio a respeito da revolta do homem, iniciando-se com as reflexões baseadas nos filósofos citados anteriormente e mais a frente ele falará sobre as revoltas do século XIX e inicio do século XX. 


"Quando a revolução é o único valor, não há mais direitos; na verdade, só há deveres."

É um livro para pessoas que estão ativas na sociedade, políticos, sociólogos, filósofo ou aqueles que gostam de mergulhar nesse mundo da filosofia. 

[Resenha] A Peste


Livro: A Peste
Autor: Albert Camus
Páginas: 287
Ano: 2017
Comprar: Físico

Sinopse: De um dos mais importantes e representativos autores do século XX e Prêmio Nobel de Literatura.
Romance que destaca a mudança na vida da cidade de Orã, na Argélia, depois que ela é atingida por uma terrível peste, transmitida por ratos, que dizima a população. É inegável a dimensão política deste livro, um dos mais lidos do pós-guerra, uma vez que a cidade assolada pela epidemia lembra a ocupação nazista na França durante a Segunda Guerra Mundial. A peste é uma obra de resistência em todos os sentidos da palavra. Narrado do ponto de vista de um médico envolvido nos esforços para conter a doença, o texto de Albert Camus ressalta a solidariedade, a solidão, a morte e outros temas fundamentais para a compreensão dos dilemas do homem moderno.

Ler A Peste é se deparar com mais uma narrativa filosófica e reflexiva proposta por Camus. A história desse livro se passará em Orã, uma cidade como outra qualquer, que segue sua rotina sem surpresas até que um dia, o Dr. Bernard Rieux, irá perceber que estão aparecendo muitos ratos, mortos ou vivos, e paralelo a isso pessoas estão adoecendo e tornando a cidade um caos, uma doença até então desconhecida que trará mortes e tristezas. A Peste Bubônica.

"Entretanto e o mais importante é que, por mais dolorosas que fosse essas angústias, por mais pesado que estivesse esse coração, apesar do vazio, pode-se dizer efetivamente que esses exilados, na primeira fase da peste, foram privilegiados."

Refletiremos sobre medo, dor, morte, compaixão, solidariedade, questões de ordem existencial.
Esse livro foi interpretado por críticos como uma alegoria ao nazismo. E perceberemos durante a leitura referências a ditadura.

"Enquanto a peste, pela imparcialidade eficaz com que exercia seu ministério, deveria ter reforçado a igualdade entre nossos concidadões pelo jogo normal dos egoísmos, ao contrário, tornava mais acentuado no coração dos homens o sentimento de injustiça. Restava, é bem verdade, a igualdade irrepreensível da morte, mas essa ninguém queria."

Um romance de cunho político com uma escrita leve, sarcástica e envolvente.

[Filmes] O Rei do Show

Há algum tempo eu não assistia a musicais, mas hoje tive a oportunidade de assistir O Rei do Show e posso dizer que sair bastante satisfeita com a produção, para mim ele foi muito bem feito, roteiro, músicas, figurino, iluminação, cenários, fazia tempo que eu não assistia algo que me deixasse 100% satisfeita. 
Ele trará uma história de superação frente as adversidades que o personagem passa. E veremos no decorrer do filme temas como amizade, amor proibido, personagens oprimidos pela sociedade. O filme é tão bom que faz a gente refleti até sobre nós mesmos.


Sinopse: A história de P.T. Barnum (Hugh Jackman), showman empreendedor conhecido como "Príncipe das Falcatruas". Entre suas criações estão um museu de curiosidades e um circo próprio, em que eram apresentados animais, freaks e fraudes de todo tipo. Lá ele inventou o “O Maior Espetáculo da Terra”, em cartaz até hoje no Ringling Bros. and Barnum & Bailey Circus.
Elenco: Hugh Jackman, Rebecca Ferguson, Michelle Williams e Zac Efron
Duração: 104 min
Diretor: Michael Gracey
Gênero: Musical 
Classificação: 10 Anos

Trailer


[Lançamentos] Novos Livros da Míddian Meireles

Quem acompanha o blog sabe que a Míddian Meireles é nossar parceira e ela está com novos livros já disponíveis na Amazon e futuros lançamentos.


Sinopse: 

Mia e Henrique se conheceram desde o nascimento. Eles eram melhores amigos e juntos descobriram o que era o primeiro amor. No entanto, no dia que decidem se entregar a paixão, eles descobrem um terrível segredo que pode mudar não apenas suas famílias para sempre, mas também os dois. 
Depois de anos se escondendo atrás desse segredo e dos próprios sentimentos, eles resolvem finalmente dar uma chance ao amor. Até que Henrique tem que tomar uma decisão sobre seu futuro, que pode fazer com que ele perca Mia para sempre. 
Entre idas e vindas, no passado e no presente, os dois se encontram, desencontram e reencontram. Mas o que acontece quando tudo o que eles mais tentam esconder de si mesmo, na verdade é o mais certo? 
Será que eles sempre vão voltar um para o outro? 
Não adianta mais eles fugirem ou se esconderem, chegou a hora deles descobrirem ao se reencontrarem.

Quer adquirir o livro? Acesse!

A continuação já tem capa!


Algumas quotes para ficar na vontade rsrsr






[Unboxing] Paper Heart Box - Personagens

Hoje vim mostrar pra vocês a nossa unboxing da Paper Heart Box, ela é uma caixinha para quem ama itens de papelaria. 


Sobre a Box:

Nós somos um Clube de Assinatura cujo tema são produtos de papelaria, onde nós enviamos mensalmente, mais precisamente dos dias 27 e 30, para você uma box com cerca de 6 a 10 itens que podem ser caneta, post-it, washitape, decotape, adesivos, marcador de texto, clips, bloco de notas, caderno entre muitos outros produtos.E o valor varia de acordo com o box que você escolher
Mais informações acesse: http://paperheartbox.com.br
A caixinha desse mês teve como tema Personagens.


Vejam o que foi que veio e não esqueçam de deixar seu like:



[Lançamento] U​​ma Noiva para Noah

O livro encontra-se a venda no site da editora Autografia (Aqui), e em breve trarei resenha aqui no blog e no canal. 

Enquanto isso confiram a sinopse:


Sinopse: Noah Mehmet é um designer de jóias ávido pela vida. Vindo de uma tradicional família turca, ele é engraçado, irônico e vive rodeado de mulheres por conta de sua beleza e charme. Junto com o irmão Nilo Mehmet - a quem ele adora tirar do sério em toda oportunidade - dirige a N&N Mehmet Group, uma empresa familiar instalada em São Paulo, líder no mercado de joias e relógios.
O problema é que a avó, Yildiz, está vindo da Turquia para verificar como anda o funcionamento da empresa e junto com ela vem Kemal, o neto considerado perfeito.
Aquele que Noah nunca será aos olhos da avó.
Georgia Santos é uma atriz desesperada por emprego. Veio do interior até São Paulo com o sonho de brilhar na TV, mas desde que chegou sua vida profissional só tem sido fracasso atrás de fracasso.
Frustrada, ela considera a ideia de voltar para o interior - seu grande pesadelo - até que conhece Noah por um acaso do destino e sua sorte muda completamente.
Noah precisa provar para sua avó que cresceu e é capaz de formar uma família.
Georgia precisa de um emprego, senão verá mais uma vez, seus sonhos indo por água abaixo.
Como o encontro desses dois mudará o rumo dessa história?
+ de 260 MIL LEITURAS NO WATTPAD!
Fico interessado?
É só acessar (Aqui)

[Resenha] Trópico de Capricórnio


Livro: Trópico de Capricórnio
Autor: Henry Miller
Páginas: 321
Ano: 2017
Comprar: Físico

Sinopse: Trópico de Capricórnio mantém a sexualidade e o erotismo em primeiro plano, porém não é simplesmente uma repetição dos temas e do estilo apresentados em Trópico de Câncer. Por meio de uma narrativa ainda mais densa e subjetiva, Henry Miller desfia seu passado em Nova York durante os anos 1920 – antes de embarcar para Paris e fazer da capital francesa a sua festa individual. Com toques autobiográficos, a história se passa nos anos 1920 e relata um passado permeado por considerações existenciais e em tons de cinza, da falta de trabalho e de dinheiro a um emprego odioso. Trópico de Capricórnio não é libertário como Trópico de Câncer. Pelo contrário, nele, o sexo parece mais escapismo do que celebração, fuga de uma realidade cruel e opressora. Mas, mesmo pessimista, a situação extremada parece pedir uma reação, que, como se sabe, viria com a ida a Paris.

Nessa obra Miller irá nos relatar como era sua vida antes de se mudar para Paris. Henry Miller morava em Nova York e assim como em Trópico de Câncer não teremos uma cronologia exata, mas com a leitura podemos identificar a passagem do tempo.

"Persona non grata! Nossa, como me parece claro agora! Não havia escolha: eu tinha de aceitar o que havia e aprender a gostar daquilo."

O autor expõe sua história desde a infância pobre, os trabalhos ruins que teve e seus casos amorosos, onde descreve os órgãos sexuais das suas amantes.
A escrita dele não difere do seu outro livro.

"Quando acabou, ela arregalou os olhos e me fitou, como se me visse pela primeira vez. Eu não tinha uma palavra para dizer-lhe; a única ideia em minha cabeça era sair o mais rápido possível."

Uma pessoa fria, disposta a tudo. Sem um bom relacionamento com a família, na verdade é uma pessoa sem sentimento por qualquer pessoa.
Como sempre rico em detalhes, trazendo a realidade de forma crua e sem embelezamentos.
Esse livro não recomendo para menores de 18 anos.

NA DÚVIDA SOBRE UM PRESENTE DE NATAL?


Que tal um livro lindo, romântico, sensual, com poesias e microcontos de ternura e paixão?
Um livro em capa dura, miolo em papel texturizado bege, com ilustrações harmônicas para fazer desse livro uma obra de arte - "Microamores" de Marcio Muniz.
Um lindo presente para encantar e seduzir.
Pedidos: exemplares autografados com preço promocional de Natal
Entre em contato direto com o autor e peça o seu: augustomarcio@hotmail.com



Editora Illuminare 
Destacando talentos e livros incríveis!
Apoiando o talento brasileiro.


[Divulgação] Um presente de Natal



Quer dar um presente inusutado de Natal?
Dê REALIDADE de presente!
Entre centenas de livros, Diário de uma Escrava (DarkSide books) nos mais vendidos do gênero na Saraiva, na Submarino e na Amazon. 
Na lista dos melhores livros lidos em 2017 - segundo o grupo "Devoradores de Livros"!
Com história sendo preparada para o cinema nacional, esse livro vai mudar sua forma de ver a escravidão sexual no mundo!
Preço especial na Saraiva e na Amazon!


Revista Conexão Literatura Nº 30



Chegamos em nossa última edição do ano, mais uma entre muitas que ainda virão. A edição deste mês de dezembro destaca Hercílio Maes, um dos mais importantes escritores e psicógrafos de Ramatís. Leia matéria e biografia completa do autor nas páginas da revista.
Dicas de livros, resenhas, crônica, conto e muitas entrevistas aguardam por você.
Toda a equipe da Revista Conexão Literatura: Rafael Botter, Daniel Borba, Amanda Leonardi, Marcelo Bighetti, Nayara Borges, Wilson Brancaglioni, Raphael Albuquerque, Eudes Cruz e esse que vos escreve, desejam um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo. Que 2018 seja repleto de energias positivas, amigos verdadeiros, muita paz, menos violência e corrupção. E claro: MUITOS LIVROS! :) 
Tenham uma ótima leitura e até a próxima edição!
Ademir Pascale - Editor
Twitter: @ademirpascale




É sempre bom conhecermos autores sejam eles atuais ou não, e nesse edição saberemos um pouco mais sobre Hercílio Maes, também encontraremos crônicas, resenhas, entrevistas e contos. uma edição incrível como as anteriores.

Ah! Quem tiver o interesse em anunciar, ser entrevistado, fazer parceria ou publicar na revista entrem em contato (Aqui)

E para baixar essa edição é só clicar (AQUI)

Unboxing Turista Literário #18 (Novembro)

Unboxing do Turista Literário do mês de Novembro, foi bem bacana, gostei de todos os itens.


Confiram o vídeo! E não esqueçam de deixar um LIKE:


[Resenha] Diário de Viagem


Livro: Diário de Viagem
Autor: Albert Camus
Páginas: 128
Ano: 2017
Comprar: Físico

Sinopse: De um dos mais importantes e representativos autores do século XX e ganhador do Prêmio Nobel de Literatura Este Diário de viagem de Albert Camus, publicado na França em 1978, traz as impressões anotadas pelo escritor em duas viagens: aos Estados Unidos, em 1946, e à América do Sul (principalmente o Brasil) entre junho e agosto de 1949. Durante sua estada em nosso país, Camus registra observações preciosas sobre vários aspectos da vida brasileira, comentando ainda seus encontros com Aníbal Machado, Manuel Bandeira, Murilo Mendes, Augusto Frederico Schmidt, Oswald de Andrade, Mário Pedrosa e muitos outros. São de leitura obrigatória para o leitor brasileiro os comentários aguçados feitos pelo pensador francês sobre este “país em que as estações se confundem umas com as outras; onde os sangues misturam-se a tal ponto que a alma perdeu seus limites”.

Iremos encontrar nesse livro os cadernos escritos por Albert Camus em suas viagens para os Estados Uunidos e América do Sul.
Na Leitura percebemos que ele teve uma grande admiração pela América do Sul e apesar de ter ficado doente durante sua viagem ele prosseguiu com o planejado.
Quando ele fala do Nordeste, senti uma ponta de orgulho de minha parte, pois a admiração dele por Recife é evidente.


"...Admiro a cidade antiga, as casinhas vermelhas, azuis e ocre, as ruas calçadas com granndes pedras pontiagudas... Positivamente, gosto de Recife, Florença dos Trópicos, entre suas florestas de coqueiros, suas montanhas vermelhas, suas praias brancas."

Ao viajar para França sua estádia no navio o deixou melancólico e pensando em suicídio. Quem já leu A Queda, também se depara com esse tema na escrita do autor e isso é algo que o faz refletir bastante.
É uma leitura agradável onde conheceremos um pouco mais sobre ele e suas viagens.
Diferente de suas outras obras.

[Resenha] Trópico de Câncer


Livro: Trópico de Câncer
Autor: Henry Miller
Páginas: 320
Ano: 2017
Comprar: Físico

Sinopse: Publicado originalmente em 1934, em Paris, Trópico de Câncer foi imediatamente proibido em todos os países de língua inglesa. Tachado como pornográfico, assim como seu sucessor Trópico de Capricórnio, só foi liberado nos Estados Unidos e na Inglaterra nos anos 1960, aclamado como parte da revolução sexual. O livro foi celebrado pelos maiores intelectuais da época e se tornou um dos grandes clássicos da literatura americana. Samuel Beckett o saudou como “um evento monumental da história da escrita moderna”. E outros nomes como T. S. Eliot, Ezra Pound e Lawrence Durrell também notaram rapidamente o talento de Miller. O livro traz um relato autobiográfico e idiossincrático de Miller, que chega a Paris após abandonar nos EUA um casamento arruinado e uma carreira estagnada. Mesmo sem um centavo no bolso, Henry Miller é apresentado à boemia francesa e redescobre seu próprio talento em dias e noites de liberdade e alegria sem fim.

Uma autobiografia, onde o autor irá narrar os casos e acasos da vida de um escritor americano que vai trabalhar em Paris.

"O câncer do tempo está nos corroendo. Nossos heróis se mataram, ou estão se matando. O herói, portanto, não é o Tempo, mas a Ausência de Tempo."

A escrita é recheada de palavrões, o que já nos mostra os ambientes que ele frequentava.
Ele é um homem sozinho, gastava seu dinheiro com prostitutas e bebidas, suas atitudes diante das situações de altos e baixos mostra como ele é uma pessoa fria, pelo menos essa foi a visão que tive dele.

"Este não é um livro. É uma difamação, uma calúnia, uma falta de caráter. Não é um livro no sentido comum da palavra. Não, este é um longo insulto, uma cusparada na cara da Arte, um chute na bunda de Deus, do Homem, do Destino, do Tempo, do Amor, da Beleza, do que você quiser."

Divagaremos com ele, entre seu passado e presente, talvez fique confuso para alguns a mudança de tempo, mas com a leitura dá pra perceber quando ela acontece.
É uma obra que não agradará a todos, mas caso vocês goste de livros filosóficos, gostará de refletir sobre essa obra, pois ele mostrará uma Paris de forma real, sem o glamour que estamos acostumados a ler ou assistir.

"Às vezes, ele entrava em transe e falava em suas encarnações anteriores ou, pelo menos, como achava que tinham sido. Ou contava sonhos que, para mim, era totalmente sem graça, prosaicos, não mereciam a atenção nem de um freudiano, mas que, para ele, ocultavam nas profundezas maravilhas esotéricas que eu precisava ajudá-lo a decifrar. Ele se virou do avesso, como um paletó que está puído."

Vale a pena a reflexão.

[Unboxing] Papel na Caixa - Unicórnio #Novembro

Sobre a box:

É clube de assinatura de itens de papelaria. E você pode escolher entre os planos "VOU COM CALMA!" e receber por apenas um mês ou "RESISTIR PRA QUÊ?",

garantindo sua entrega todos os meses.
Ao assinar, você receberá em sua casa uma caixa com 6 a 12 itens
escolhidos especialmente para você. São canetas, lápis, borrachas, post-its, bloco de notas, clips, marcadores, mimos entre outros.


Tema do mês de Novembro


Confere o vídeo:





[Resenha] A Queda


Livro: A Queda
Autor: Albert Camus
Páginas: 110
Ano: 2017
Comprar: Físico


Sinopse: De um dos mais importantes e representativos autores do século XX e Prêmio Nobel de Literatura Um advogado francês faz seu exame de consciência num bar de marinheiros, em Amsterdã. O narrador, autodenominado “juiz-penitente”, denuncia a própria natureza humana misturada a um penoso processo de autocrítica. O homem que fala em A queda se entrega a uma confissão calculada. Mas onde começa a confissão e onde começa a acusação? Ele se isolou do mundo após presenciar o suicídio de uma mulher nas águas turvas do Sena, sem coragem de tentar salvá-la. Camus revela o homem moderno que abandona seus valores e mergulha num vazio existencial. Fundamental para todas as gerações.

A queda foi escrito em 1956 e nos leva a refletir sobre o comportamento humano. 
Essas reflexões serão feitas por Jean Baptiste, numa narrativa em primeira pessoa.

"Sentia-me a vontade em tudo, é bem verdade, mas, ao mesmo tempo, nada me satisfazia."

Sentado numa mesa de bar ele nos contará sua trajetória, num monólogo que fará o relato de uma confissão de um "juiz-penitente".
Ele tinha uma vida bem sucedida, morava em Paris, havia planejado tudo e fazia sucesso com as mulheres, até que um dia escutou uma risada enquanto anda na rua, um riso diferente e ouviu um barulho de alguém caindo na água, esses dois acontecimentos modificaram sua vida, resultando em reflexões sobre seus atos.

"Só reconhecia em mim superioridade, o que explicava minha benevolência e minha serenidade."

E é junto com ele que iremos refletir sobre si e sobre a humanidade, a cerca de diversos temas que irão permear por sentimentos, atitudes, religião e outros.
Confesso que não é um livro que qualquer pessoa leria, pois ele é bem rebuscado e de leitura intensa, que me deixou com ressaca literária, mas é um livro que vale a pena ser lido.

[Unboxing] Amazon - Black Friday

Confere o vídeo das minhas comprinha na black friday no site da amazon.



Links de compras: