[Entrevista] Autor Alberto Lacerda

É com grande prazer que trago aqui para vocês a entrevista feita com o autor do livro Crônicas do Cotidiano, Alberto Lacerda que estará em breve fazendo seu lançamento.


Suka: Fale um pouco sobre você: 
Alberto: Bem... Sou mineiro, nascido na cidade de Nanuque. Passei a minha infância em Nanuque e no ginásio comecei a escrever poesias durante as aulas de química e física. Nessa época tive bastante incentivo da professora de redação. Eram as aulas que mais gostava. Essa professora, certa vez, teve a ideia de fazer um jornal para a escola (chamado Seiva) e, em uma de suas edições foi publicado uma de minhas poesias. Daquele momento me senti cada vez mais à vontade com a escrita. Me mudei para Belho Horizonte para prestar o vestibular no ano de 1999. E enquanto frequentava o cursinho preparatório tive incentivo do meu professor de Literatura. Ele também se chamava Alberto, por coincidência (se é que isso existe). Escrevi por algum tempo e fiz um livro de Poesias chamado Estórias e Amavios, o qual reune as poesias escritas até àquela época, mas que ainda não publiquei. Na verdade, hoje, está no processo de formatação para ser lançado, ainda sem editora, no início do ano que vem. Depois disso a escrita acabou ficando adormecida devido a faculdade e emprego. Porém, agora, voltei a escrever e não pretendo parar mais.

Suka: Quem ou o que te influenciou para que hoje você fosse escritor? 
Alberto: Sempre tive acesso a livros. Meu pai é um ávido leitor e tem uma biblioteca razoável. Na verdade, a música e a literatura sempre estiveram presentes na minha casa. Assim, cresci ouvindo Simon and Garfunkel e lendo os diversos almanaques da Disney. Também vi na escrita a possibilidade de poder me expressar melhor. Se não for melhor, pelo menos de uma forma mais completa, acredito. Nem sempre consegui colocar as minhas ideias de forma clara ao falar. Então, pensei: Se eu tiver de escrever, as pessoas terão de ler tudo o que estiver no papel antes de contra argumentar. Acho que isso me ajudou a escrever: a dificuldade de me comunicar.

Suka: Após 21 anos você está lançando um livro que reúne várias crônicas, dentre elas tem alguma em especial ou que você goste mais? 
Alberto: Não sei se tenho alguma em especial. Todas têm um pouco de mim e do meu jeito de ver o dia a dia. 

Suka: Já pensa em uma nova publicação? Se sim, pode nos contar um pouco? 
Alberto: Sim, penso. Estou com trabalhos em paralelo. Tem o livro de poesias que pretendo lançar no início do ano que vem (Estórias e Amavios) e há um projeto de contos em andamento. Estou preparando o blog e o perfil do instagram para começar 2019 de forma bem estruturada. Nessas mídias as pessoas poderão acessar artigos e ensaios.

Suka: Fale um pouquinho sobre seu livro. 
Alberto: O Crônicas do Cotidiano é um livro que ilustra bem o meu jeito de ver as coisas. São relatos, cômicos, daquilo que vi e vivi. Um jeito descontraído de perceber o mundo. A intenção é que seja um livro leve e descontraído. 

Suka: Se quiser escrever mais alguma coisa que acredita ser interessante fique a vontade. 
Alberto: Como respondi na segunda questão, eu comecei a escrever para poder me expressar melhor. No final de 2016 eu percebi que precisava escrever. Fiz um artigo no início de 2017 e enviei para um conhecido em Nanuque que o publicou em seu jornal. A partir daí passei a escrever crônicas e enviar para ele. O Crônicas do Cotidiano é o resultado de um ano de escritas para esse jornal (que se chama Em Tempo).


Sinopse:

A primeira publicação de Alberto Lacerda foi no jornal “Seiva”, em 1997, enquanto ainda cursava o segundo ano do ginásio. No jornal da escola fora publicada uma poesia, das inúmeras que escreveu, que fez ao invés de estudar para as aulas de química e biologia. De lá pra cá, o espírito criativo do autor teve tempo suficiente para evoluir e se concretizar neste livro. Vinte e um anos depois de sua primeira publicação, o escritor reúne aqui as crônicas publicadas no jornal Em Tempo. E com o seu jeito de ver o mundo que lhe é tão característico, descreve sobre suas próprias peripécias e acasos. Aqui, Alberto consegue retratar, de forma cômica e realista, sua visão sentimentalista e singular dos acontecimentos comuns do dia a dia, como pode ser visto em “Abobrinhas e Grão-de-Bico, Ressonância, Tumulto Fitness e Dion Lenon e o Coala. 
Crônicas do Cotidiano é um livro leve, cômico e que convida o leitor a se divertir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!