[Resenha] Abadia de Northanger


Livro: Abadia de Northanger
Autora: Jane Austen
Páginas: 261
Ano: 2018
Comprar: Físico

Sinopse: Escrito ainda na juventude de Jane Austen e publicado postumamente, em 1818, "A Abadia de Northanger" é, sem dúvida, um dos romances mais elaborados da época – uma comédia satírica que aborda questões humanas de maneira sutil, tendo como pano de fundo a cidade de Bath. O enredo gira em torno de Catherine Morland, que deixa a tranquila e, por vezes, tediosa vida na zona rural da Inglaterra para passar uma temporada na agitada e sofisticada Bath do final do século XVIII. Catherine é uma jovem ingênua, cheia de energia e leitora voraz de romances góticos. O livro faz uma espécie de paródia a esses romances, especialmente os escritos por Ann Radcliffe. Jane Austen faz um eloquente contraste entre realidade e imaginação, entre uma vida pacata e as situações sinistras e excitantes que os personagens de um romance podem viver.

Nesse livro da Jane Austen vi uma escrita um pouco diferente dos demais livros dela que já li.
Dessa vez ela trata sua personagem como uma heroína e sempre enfatiza a falta de beleza física dela e de sua família.

" - Aquele que, homem ou mulher, não sente prazer na leitura de um bom romance deve ser insuportavelmente estúpido."

Conheceremos dessa vez Catherine Morland, uma jovem simpática, não muito bela fisicamente, porém com uma beleza interior magnífica, apreciadora de romances góticos, possuidora de uma grande imaginação, mas ao mesmo tempo muito inocente e não compreende bem as entrelinhas do que lhe é dito.
Ela será convidada pela Sra. Allen  a ir com ela e o marido passar algumas semanas em Bath, o que a deixa extremamente feliz.

"... apesar de tudo que os romancistas possam dizer, nada se faz sem dinheiro."

Chegando lá a Sra. Allen não tem amigos e suas lamentações deixa Catherine meio frustrada, até que um dia elas cruzam com a Sra. Thorpe, colega de escola da Sra. Allen e Catherine acaba se tornando amiga de Isabelle Thorpe, por coincidência seus irmãos são melhores amigos.
Além deles ela também conhecerá a família Tilney e se apaixonará pelo filho mais novo, Henry Tilney e se tornará amiga da irmã dele, Eleanor, uma jovem discreta, diferentemente de Isabelle e Catherine será convidada pelos Tilney a passar um tempo na casa deles, na Abadia de Northanger. É a partir dessa viagem que ela conhecerá de fato a natureza humana.

"Deliciosa tarefa é ensinar a jovem ideia a despontar."

É um livro onde a inocência não vê a maldade no outro, diferente das outras leituras, iremos ver a personagem ser inserida na sociedade e temos uma resolução rápida da história em poucas páginas, mas apesar disso é uma leitura que flui bem. 
Um outro ponto bem interessante é a citação dos romances góticos que me deixou bem curiosa em lê-los.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!