Calada da Noite

Caminhando à noite
Nesse imenso cemitério,
Rodeado de angustia e dor ,
Sinto a brisa gelada da noite,
Assim solitário vivo nessa noite sombria,
Acompanhado de anjos e gárgulas imóveis na noite ,
começo a me acostumar com a solidão.
Solidão da qual sempre tive companhia em vida ,
Seguindo entre tantos que já se foram,
Percebo que esse será meu rumo.
Mas graças a eles eu aprendi que devo seguir vivendo na dor ,
Nesse mundo dos homens sem cabeça .
Pois entre esses que dizem ser sábios ,
Os mesmos não sabem qual é a verdadeira sabedoria !
Mas agora devo voltar para meu túmulo ,
Antes do dormir da noite e o despertar do sol... 



[Autor Desconhecido]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!