[Resenha] O Sol Também é uma Estrela


Livro: O Sol Também é uma Estrela
Autora: Nicola Yoon
Páginas: 288
Ano: 2017
Comprar: Físico

Iremos conhecer a história da Natasha, ela está para ser deportada de volta para a Jamaica junto com sua família. Porém, ela tentará de tudo para que consiga anular a deportação e fica nos EUA, onde ela mora desde os 8 anos de idade. Natasha é bem realista, não acredita em Deus nem coincidencias, ama a ciência, para ela é a coisa mas exata que existe, não acredita no amor, acredita da razão e para tudo ela tem uma resposta cientifica na ponta da língua.

"... a gente nunca deveria tentar uma possibilidade remota. Melhor estudar as chances e tentar a possibilidade provável. Mas, se a remota é a única, é preciso tentar"

E do Daniel, um sonhador, ama poesia, fará uma entrevista para faculdade de medicina que é algo que sua família deseja que ele faça, mas não é o que ele quer. Não tem um bom relacionamento com seu irmão mais velho, mesmo tendo nascido nos EUA, sua família é coreana e bem tradicional.

"Os seres humanos não são criaturas razoáveis. Em vez de governados pela lógica, somos governados pelas emoções. O mundo seria um lugar mais feliz se o oposto fosse verdade."

No dia em quem Natasha será deportada e Daniel terá sua entrevista para faculdade, eles irão se cruzar, para Daniel é o destino, mas para Natasha essa não é a resposta certa. Devido a insistência do Daniel, eles irão acabar se conhecendo um pouco mais. 

"O coração poético não é confiável em termos de decisões de longo prazos."

A história será intercalada entre os dois personagens principais, além de conter pequenos capítulos sobre os personagens secundários, todos eles têm uma ligação com nossos personagens. O livro é de leitura fluida, os capítulos são curtos, li em poucas horas. Trás temas como amizade, companheirismo, insistência, destino, razão, sonhos, amor. É um livro gostoso de lê e que eu confesso, julgava pela capa. 


Sinopse: Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história.Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois.
O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!